Thursday, December 20, 2007

O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA



Tentei puxar da memória e até pode ter ocorrido, mas nunca filme foi tão fiel ao ivro quando a O Amor Nos Tempos do Cólera (The Love in the Time of Cholera, de Mike Newell, de Quatro Casamentos e Um Funeral e Harry Potter e o Cálice de Fogo), do romance genial de Gabriel Garcia Márquez. E se você quer encontrar um ator em sua plenitude, observe o espanhol Javier Bardem no papel do apaixonado Florentino Ariza. Ainda adolescente, em Cartagena, na Colômbia, ele se apaixona pela jovem Fermina Daza (Giovana Mezzogiorno, de O Último Beijo, excelente filme italiano de 2002) e como é impedido de se casar com ela, passa 53 anos de sua vida sofrendo por amor. Até promete se manter virgem para ela, mas para esquecer sua frustração, a opção é se entregar às mulheres, chegando a ir para a cama com mais de seiscentas. O seu objetivo é, antes de morrer, ter sua amada nos braços.
O filme, se tratando de amor, por vezes, beira à breguice. Mas o amor é brega e só quem sofreu por amor entende isso.
O cuidado com o visual de época é primoroso e até encontraram um ator por demais semelhante a Javier Bardem, o jovem Unax Ugalde. Mas os pecados por vezes são gritantes, como os erros cronológicos, a maquiagem falha e, pasmén, numa das cenas, um dos personagens pergunta a Ariza se ele gosta de música. "Sim. Carlos Gardel", responde o protagonista. No entanto, a cena se passa em meados da década de 1880 e Gardel só surgiria para o mundo no século 20, afinal nasceu apenas em 1890.
E apesar de muita gente pensar em cólera como raiva, na realidade, o cólera citado é a doença, que vitimava muitas pessoas devido à falta de higiene naqueles idos anos.
E Fernanda Montenegro interpreta a dedicada mãe de Florentino. Então se ela está lá, assista sem medo.

1 comment:

Marcelo said...

Peguei o livro original de Gabriel Garcia Marquez e a frase com Gradel também se encontra lá. O livro se passa na mesma época do filme, existe uma mudança errada de época ou ambos erraram feio nesta frase???