Thursday, February 11, 2010

NINE



O musical NINE, de Rob Marshall, tem um grande pecado para...um musical: não possui uma música que se destaque. São todas muito uniformes e fracas. Dá saudade de belos musicais como A Noviça rebelde, Cantando na Chuva ou até mesmo o recente Dreamgirls.
A história não chega a ser original, mas tem seu charme, homenageando o diretor italiano Federico Fellini (1920-1993): o cineasta Guido Contini (Daniel Day Lewis numa atuação fraca e quase caricata) sofre com um bloqueio criativo a poucos dias de começar a filmagem de seu novo filme. Então decide se refugiar num hotel fora de Roma para tentar fugir dos paparazzi e também das pessoas envolvidas com a produção do filme. E neste vendaval todo, ele ainda se vê às voltas com as figuras de nove mulheres que têm significância em sua vida, principalmente sua mulher Luisa (Marion Cottilard, a melhor coisa do filme) e a amante Carla (Penélope Cruz, aqui numa boa interpretação). Quem também se destaca é a sempre excelente Judy Dench, da série 007, como a conselheira e figurinista dos filmes de Guido. Mas um musical sem músicas boas...vamos para a próxima.

cotação: ruim
Chico Izidro

1 comment:

Mariana said...

Eu até gostei de Nine, achei que o fato de não ter uma música tema se encaixou perfeitamente com o equilibrio proposto pelo filme. Equilíbrio da parte de Contini com relação as mulheres de sua vida e a trilha no sentido de não dar tanta ênfase a um único personagem.