Thursday, May 10, 2018

“Todos os Paulos do Mundo”




O gaúcho de Lavras do Sul Paulo José é um homem de sorte. Ao avisar os pais que não pretendia mais ficar na faculdade de arquitetura e que desejava ser ator, ouviu do patriarca: “Então você não pode mais ficar nesta casa”. Paulo acreditou que estava sendo expulso, mas não, o seu pai estava avisando que se fosse ser ator, deveria buscar um centro maior para seguir na carreira. E acrescentou: “E eu irei lhe ajudar”.

Assim, Paulo José chega agora aos 81 anos de uma das carreiras mais significativas na área de atuação no Brasil. Sua vida é resgatada no documentário “Todos os Paulos do Mundo”, direção de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, e que faz trocadilho com um dos principais filmes protagonizado pelo gaúcho, “Todas as Mulheres do Mundo”, sucesso em 1966, dirigido por Domingos de Oliveira e com a musa Leila Diniz.

O documentário mostra um retalho de filmes e séries onde Paulo José trabalhou, e ele mesmo é um dos narradores do documentário, que tem ainda as vozes de Fernanda Montenegro, Mariana Ximenez, entre outros. Paulo José convive há quase meio quarto de século com o Mal de Parkinson, mas a doença é pouco explorada. Afinal, pouco importa, pois não tirou a capacidade de trabalho do excepcional ator, que foi casada com outra musa, Dina Sfat. e trabalhou em obras seminais como “Macunaíma” (1969), “Edu, Coração de Ouro” (1967), “Anahy de Las Missiones” (1997), “O Palhaço” (2011), foi o narrador de “Ilha das Flores” (1989) e na série global “Shazam e Xerife” (1972/1974), uma das minhas preferidas quando criança.

Afinal, se Paulo José é um homem de sorte, nós somos cinéfilos de sorte por ter podido acompanhar uma carreira excepcional e prolífica de um ator único. Documentário obrigatório.

Duração: 1h20
Cotação: ótimo

Chico Izidro
Post a Comment