Thursday, February 01, 2018

"A Forma da Água" (The Shape of Water)




"A Forma da Água" (The Shape of Water), é a nova obra de Guillermo del Toro, único do trio de diretores mexicanos que ainda não possui um Oscar - Alejando González já levou a estatueta duas vezes, por "Birdman" e "O Regresso", e Alfonso Cuarón foi premiado por "Gravidade" e "E Sua Mãe Também". Mestre do cinema fantástico, com trabalhos como "O Labirinto do Fauno", "A Espinha do Diabo", "Mutação" e "A Colina Escarlate", del Toro faz aqui uma homenagem ao clássico "O Monstro da Lagoa Negra", de 1954, e um dos favoritos dele. O visual do ser aquático e o modo como a história é trabalhada remetem direto ao filme dos anos 1950.

Na trama, acompanhamos a vid quase solitária da faxineira de uma instalação militar, Elisa (Sally Hawkins), que é muda e que divide o apartamento, acima de um cinema falido, com Giles, um pintor fracassado e gay enrustido, que sobrevive de pinturas que faz aqui e ali. No trabalho, ela tem como amiga Zelda (Octavia Spencer), uma divertida faxineira que compensa o silêncio de Elisa falando sem parar quase um minuto e que traduz o que a colega tenta transmitir.

Um dia Elisa acaba encontrando em um laboratório de pesquisa uma estranha criatura marítima, que é objeto de pesquisa dos militares, e acaba se afeiçoando do monstro, interpretado por Doug Jones. Ele é violentamente tratado pelo Coronel Strickland, vivido por Michael Shannon. Aos poucos, Elisa vai começar a bolar um plano para libertar o homem-peixe, por quem se apaixona, visto que são duas criaturas, mesmo que de espécies diferentes, mal-tratadas pelo mundo e objeto de estranheza - ela por sua mudez, o monstro por sua aparência.

"A Forma da Água" (The Shape of Water) se passa nos turbulentos anos 1960, em pleno período da Guerra Fria - os russos também almejam em sequestrar a criatura dos americanos - e que trata ainda do machismo e do forte racismo da época, muito presente na figura do Coronel Strickland, que não entende que todo o mundo a sua volta está começando a mudar, mas continua agindo com radicalidade e intolerância.

Sally Hawkins está excepcional no papel da protagonista. Sem dizer uma única palavra em todo o filme, ela consegue transmitir com olhares e gestos todo o sofrimento de seu personagem. Já Octavia Spencer e Michael Shannon praticamente dispensam comentários - são excepcionais atores, sempre fantásticos em seus papéis. Ele mais uma vez como vilão, é assustador e mais monstruoso que a própria criatura aprisionada. "A Forma da Água" é um conto de fadas para adultos.

Duração: 2h02min
Cotação: ótimo

Chico Izidro
Post a Comment